Jovem retorna, como enfermeira, ao hospital onde venceu o câncer duas vezes

Diagnosticada com câncer por duas vezes, uma na infância e outra na adolescência, jovem retorna como enfermeira ao hospital onde foi tratada e curada da doença

0
346

Aos 24 anos, Montana Brown sabe muito bem como o câncer pode ser devastador e traiçoeiro. Ela foi diagnosticada com uma forma rara de câncer do tecido conjuntivo duas vezes quando criança.

A primeira ocorreu quando ela tinha apenas 2 anos de idade. Seus pais a levaram para o AFLAC Cancer Center, hospital especializado em câncer infantil localizado em Atlanta, no estado norte-americano da Geórgia, onde após um ano de quimioterapia entrou em remissão. A partir daí, sua infância foi normal e feliz, até que o câncer voltou quando ela tinha 15 anos. Mais uma vez, ela retornou ao AFLAC para mais quimioterapia e, novamente, venceu a doença.

A extrema compaixão e carinho que recebeu das enfermeiras que dela cuidaram, marcaram sua vida e a inspiraram em sua escolha profissional. Agora os 24 anos, Montana começou a trabalhar como enfermeira no mesmo hospital onde foi tratada.

Postagem do AFLAC Cancer Center em rede social. Tradução: “Quando criança, Montana venceu o câncer duas vezes. Primeiro aos 2 anos e depois aos 15. Em sua caminhada, sonhou em tornar-se enfermeira quando crescesse. Nesta semana, notavelmente durante o “Mês da consciência sobre o câncer infantil”, Montana realizou seu sonho e retornou como membro do time de enfermeiros do AFLAC Cancer & Blood Disorders Center”

“Nunca em um milhão de anos eu pensei que, aos 24 anos, eu teria alcançado meu sonho maior e mais selvagem, que era trabalhar no hospital em que fui tratada quando criança e adolescente”, ela escreve em uma publicação no Facebook. “É incrível, louco e fantástico, estou tão animada para trabalhar para uma organização tão inspiradora!”

Ela acredita que suas experiências pessoais difíceis com o câncer podem ajudá-la a criar um vínculo empático especial com a crianças que lutam contra o câncer, tornando-se uma fonte de esperança e inspiração para elas. “Eu realmente queria ser essa pessoa que pode dizer oi, eu entendo totalmente. Foi aqui que eu estava. É aqui que estou agora.”, afirmou.

Fonte: AFLAC Cancer Center / boredpanda.com
Fotos: reprodução/Facebook/Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Publique seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui