O número de crianças e adolescente obesos no mundo entre cinco e 19 anos se multiplicou por 10 desde 1975, porém, essa taxa ainda é menor se comparada a crianças com insuficiência de peso.

Conforme publicado pela revista médica britânica “The Lancet”, se os passos continuarem os mesmos, a previsão é de que até o ano de 2022 o índice de obesidade juvenil passará a de crianças de baixo peso.

Foto: pixabay.com (CC0 License)

Um estudo realizado pelo Imperial College de Londres e a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que, em 1975, 11 milhões de crianças e adolescentes eram considerados obesos, já em 2016 esse número saltou para 124 milhões.

Esse fenômeno afeta o mundo todo, mas as áreas mais afetadas são algumas ilhas da Polinésia – onde mais de 30% das crianças e adolescentes são obesos -, enquanto nos Estados Unidos, Egito e Arábia Saudita o índice chega a 20%.

Foto: pixabay.com (CC0 License)

Essa estatística só vem aumentando em países de renda média e baixa enquanto em países ricos está estabilizado.

Afirma o professor do Imperial College de Londres, Majid Ezzati: “continuam sendo necessárias políticas que alertem a segurança alimentar nos países e lares com rendas baixas. Há muito poucas políticas e programas que tentam tornar alimentos saudáveis, como cereais integrais e frutas e verduras frescas, acessíveis para as famílias pobres.”

Foto: pixabay.com (CC0 License)21

Fonte: France Presse / G1

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Publique seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui